A dura vida de menino que sustenta a família caçando pedaços de plástico em rio poluído

Leo Lib

]]>

Ranniel Mirador tem apenas 13 anos, mas trabalha como adulto – em condições insalubres.
Ele vive perto do rio Estero de Vitas, um dos mais poluídos das Filipinas.
Veja o vídeo.
Todos os dias, Ranniel, assim como outras crianças, buscam plásticos recicláveis ali em troca de dinheiro.
“Quando acordo, lavo meu rosto e bebo café”, diz.
“Depois, vasculho o lixo”, acrescenta.
Ranniel usa portas de uma geladeira velha como jangada. Ele diz ganhar cerca de US$ 1,5 (R$ 6,25), às vezes US$ 3, por dia.
Às vezes, ele chega a mergulhar no rio.
“Não dá para ver nada porque a água é muito suja”, diz. “Por isso, quando sentimos algo (com nossos pés), mergulhamos com os olhos fechados para pegar e trazer à superfície. Algumas vezes, me corto em cacos de vidro”, acrescenta.

Projetos de limpeza do rio reduziram a quantidade de lixo, mas um estudo recente revelou que a água continua imprópria.
Com o dinheiro de Ranniel, a família compra produtos em pequenas embalagens plásticas. Este é justamente o tipo de material que mais polui os rios.
“É difícil ser criança aqui. Mesmo se estiver sujo, você tem que trabalhar. Mesmo se estiver fedorento, você precisa vasculhar o lixo por dinheiro. É muito difícil”, lamenta.
“Meu futuro? Não sei se vai ser bom ou ruim”, conclui.

Deixe uma resposta

Next Post

Aquecimento global afetará saúde das novas gerações, diz relatório

]]> Um relatório publicado nesta quinta-feira (14) na revista científica […]