Huawei investe R$ 3,3 bilhões em fábrica de celulares no Brasil

Xangai, China. A gigante da telefonia móvel chinesa Huawei anunciou nesta sexta-feira (9) que irá abrir sua terceira fábrica no Brasil, agora para a montagem de celulares, em uma cidade ainda a ser definida no Estado de São Paulo. O investimento é de US$ 800 milhões (R$ 3,31 bilhões) de 2020 a 2022, e visa preparar a empresa para participar do leilão da telefonia 5G no Brasil, marcado para março do ano que vem. O anúncio ocorreu no penúltimo dia da visita do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), à China.

A telefonia 5G é um dos campos de batalha tecnológica mais agitados no mundo hoje. Prometendo ultraconectividade, a banda viabiliza a chamada internet das coisas – carros, casas e escritórios, com todos os seus equipamentos, conectados em rede.

A disputa geopolítica entre China e Estados Unidos se dá nesse campo também, e a Huawei enfrentou diversas sanções e ameaças do governo de Donald Trump – chegou a ter executivos presos no exterior e sofreu um veto de negócios com seus fornecedores de tecnologia norte-americanos.

Especialistas em tecnologia apontam o risco de todo o mundo da internet acabar dividido entre produtores chineses e norte-americanos, inclusive sem compatibilidade entre padrões. Pressionada, a Huawei fechou negócios para instalar o 5G da Rússia e da Coreia do Sul recentemente, e vai disputar leilões não só no Brasil, mas em todo o mundo.

Produção local

Hoje a empresa tem uma unidade de serviços de fibra óptica em Manaus e uma fábrica que emprega 2.000 pessoas para produzir infraestrutura de apoio às operadoras de telefonia que já utilizam seus serviços em Sorocaba.

A próxima unidade promete empregar mil pessoas. “Faremos aparelhos 5G para o Brasil e para países da América do Sul”, disse Atílio Rulli, diretor de relações públicas e governamentais da empresa no Brasil, que se reuniu com Doria ao lado do vice-presidente da Huawei, Steven Shen.

Há questões em aberto. Segundo o secretário da Fazenda de São Paulo, Henrique Meirelles, pode haver estudo de mudança de regime tributário para favorecer a instalação da empresa. A Zona Franca de Manaus cobra impostos de forma diferenciada, o que dificulta a competição no setor. “Não será guerra fiscal”, disse, se adiantando à crítica já recebida quando montou o programa de incentivos para a permanência de montadoras de automóveis em São Paulo, no começo do ano.

Segundo Rulli, a montagem dos celulares terá o índice de nacionalização de componentes que for estabelecido no leilão pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Se ganhar o leilão, a empresa promete colocar a infraestrutura básica do 5G em pé em um ano.

Desenvolvimento

Além da fábrica, a Huawei irá investir no novo polo de incubação tecnológica desenvolvido pelo governo paulista. “Estivemos em unidades chinesas e vimos demonstrações de aplicações da internet das coisas e inteligência artificial. É impressionante”, afirmou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen. Ela lista saúde, cidades conectadas e agronegócios como as áreas em que a tecnologia apoiada pela Huawei terá maior impacto em São Paulo.

Nova rede ameaça a TV por assinatura

Brasília. O governo quer leiloar as frequências da telefonia de quinta geração – o 5G – até o primeiro semestre do próximo ano, mas as teles resistem porque, com esse serviço, avaliam, estarão assinando o atestado de óbito da TV por assinatura.

A capacidade de transmissão de dados muito maior do que a do 4G tornará desnecessário levar via cabo (coaxial ou fibra óptica) a conexão de internet às residências. O serviço de TV será possível de ser implementado pelas antenas de celular.

Essa realidade, atrelada à crescente oferta de aplicativos que transmitem canais de TV e de estúdios estrangeiros pela internet, sem passar pelo empacotamento das teles, é vista como uma ameaça.

Embora defendam publicamente a evolução da tecnologia, nos bastidores, as teles tentam ganhar tempo. A receita do serviço de TV, que é prestado com a oferta de banda larga fixa, representa boa parte do faturamento. A Claro, por exemplo, recentemente reclamou na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) da oferta de canais da Fox via internet.

Nokia

Começou. O Uruguai foi o primeiro país da América Latina a receber a rede comercial 5G, graças a parceria de Nokia e Antel, a operadora estatal. A fabricante testa no Brasil em parceria com a Tim.

Flash

Mercado. A Vivo é maior operadora em clientes, mas detém só 8,7% da TV paga. A Oi tem 9,5%. A Sky abocanha quase 30%, mas com a tecnologia de satélite. A líder da TV por assinatura com cabo é a Claro/Net (49%).

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Huawei investe R$ 3,3 bilhões em fábrica de celulares no Brasil

Deixe o seu comentário

Você deve estar logado para comentar.