Oscar 2019: Diretoras mulheres ganham os prêmios de curtas de animação e documentário

SÃO PAULO – “Bao” e “Absorvendo o tabu” ganharam, respectivamente, os Oscars de melhor curta de animação e melhor curta documentário. Em comum, têm o fato de serem dirigidos por mulheres.

Escrito e dirigido por Domee Shi, “Bao” conta a história de uma mãe chinesa-canadense que sofre com a sindrome do ninho vazio e que recebe uma segunda chance de ser mãe quando faz um bolinho de massa que ganha vida. No Brasil, abriu as sessões de “Os incríveis 2”.

VALERIE MACON

Assinado por Rayka Zehtabchi. “Absorvendo o tabu” fala sobre a menstruação feminina, a partir de casos de mulheres em uma pequena cidade rural da região de Delhi, na Índia, que tratam o fenômeno fisiológico como um estigma.

Ava DuVernay, diretora americana, que assina “Selma” (2015), comemorou em sua conta nas redes sociais: “Mulheres diretoras arrasam nas categorias de curtas, ficção e doc! Sim! Irmãs diretoras, avante!”.

]]>

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Oscar 2019: Diretoras mulheres ganham os prêmios de curtas de animação e documentário

Deixe o seu comentário

Você deve estar logado para comentar.